Táxi

Com tarifa mais cara, táxi de luxo precisará de airbag e ABS

20/02/2011

11h00

Com tarifa 50% mais cara que a dos táxis comuns, os táxis de luxo de São Paulo terão agora dois novos itens de segurança obrigatórios: freios ABS e airbag frontal para motorista e passageiro.

As novas exigências foram fixadas pela prefeitura no fim de janeiro, como requisitos para credenciar a frota de 163 veículos na capital paulista –que atende principalmente clientes de hotéis, como Renaissance e Maksoud Plaza.

Trata-se de uma nova tentativa para diferenciar os táxis de luxo dos demais.

Enquanto a bandeirada do táxi comum (que é branco) está em R$ 4,10, a do especial (vermelho e branco) custa<qj> R$ 5,13 e a do luxo (com cores variadas, até preto), R$ 6,15.

A frota de táxis comuns na capital é hoje de 31.789 e dos vermelho e branco, de 652.

A diferenciação visava refletir os padrões de conforto de cada um –os dois últimos já precisavam ter ar-condicionado e direção hidráulica.

  Moacyr Lopes Junior/Folhapress  
Antônio Gambim, 62, ao lado de seu táxi de luxo, no hotel Tivoli Mofarrej, em SP; carros deverão ter airbag e ABS
Antônio Gambim, 62, ao lado de seu táxi de luxo, no hotel Tivoli Mofarrej, em SP; carros deverão ter airbag e ABS

“Só que, nos últimos anos, muitos táxis comuns já passaram a ter esses opcionais. Então os táxis de luxo deixaram de ter sentido”, afirma Natalício Bezerra, presidente do sindicato dos taxistas.

Ele avalia que os novos itens de segurança exigidos não são atrativos a usuários.

Os freios ABS podem atenuar os riscos de acidente. Mas a exigência do airbag só tende a favorecer quem estiver no banco dianteiro.

“O nosso cliente se preocupa com segurança. Temos até um carro blindado”, diz Nilson de Carvalho, presidente da Cooperluxo (cooperativa que reúne a categoria).

Segundo ele, pouco mais da metade dos taxistas de luxo tem os itens de segurança _os demais precisarão incorporá-los na próxima troca.

Além de freios ABS e airbag, também há exigências maiores de motor e tamanho do porta-malas para os táxis de luxo. Seus motoristas andam de traje social e costumam ter noções básicas de alguma língua estrangeira.